Author Topic: Oi pessoal!  (Read 7992 times)

0 Members and 1 Guest are viewing this topic.

Offline Undead Cat

  • Neighbor
  • ***
  • Posts: 76
  • Reputation: +1/-0
  • Gender: Queer
Re: Oi pessoal!
« Reply #20 on: July 27, 2017, 08:49:27 pm »
Pensei que Brasil tinha muitas mulheres trans porque era mais aberto com esse tema.É triste ler isso.

Tem muitas mulheres no geral, e mulheres transgêneras tb  por causa do tamanho do país.

Offline Undead Cat

  • Neighbor
  • ***
  • Posts: 76
  • Reputation: +1/-0
  • Gender: Queer
Re: Oi pessoal!
« Reply #21 on: July 27, 2017, 08:50:57 pm »
Oi pessoal, meu nome é Amy; nasci e cresci no Brasil mas vivo nos EUA já fazem anos. Eu me identifico como trans, e pretendo começar meu regime hormonal em setembro. Prazer conhecer todos vocês! Bjs!

Bem vinda , Amy,  que bom que vc está mais segura aí nos EUA,  boa sorte.

Offline Giordana Scorsin

  • Visitor
  • *
  • Posts: 9
  • Reputation: +1/-0
Re: Oi pessoal!
« Reply #22 on: August 20, 2017, 03:34:07 pm »
O Brasil é tenso, mas está melhorando. Nós temos uma consciência social crescente quanto à questão trans - LGBT como um todo, inclusive, o T da questão tem sido mais explorado recentemente, ainda é uma zona muito cinzenta. É o país que mais mata trans, é de uma cultura sócio-história transfóbica, machista e dura.

Alguns locais têm maior incidência e uma cultura específica mais transfóbica. Posso citar, por experiência, o Ceará - um dos lugares com pessoas mais receptivas, mas, ao mesmo tempo, rudes e extremamente LGBTfóbicas.

A violência lá fora é latente, mas dentro de casa, se expressa de maneiras muitas vezes não físicas. Uma violência moral, verbal, espiritual.

Mas temos que ficar e resistir, não é mesmo? Conquistar o nosso lugar e aguentar toda a dor e todo o sofrimento. É uma caminhada dura, e fazemos parte dela.

Offline Undead Cat

  • Neighbor
  • ***
  • Posts: 76
  • Reputation: +1/-0
  • Gender: Queer
Re: Oi pessoal!
« Reply #23 on: September 23, 2017, 03:57:40 pm »
Mesmo assim , dói, a falta de afeto total, sério,  gente trans recebe maus tratos em todos os setores da vida,  desde a vida familiar até a escolar, trabalho, relacionamentos.... e a falta de afeto acarreta carência e autodepreciação e uma total falta de autoestima,  coisa que é essencial pra qualquer ser humano continuar vivendo.


Mas, olha, quanto ao LGBTQAPD+  eu acho que este movimento não representa a gente, L, G, B, A,  P e D são minorias de orientação , a gente é um grupo oprimido por gênero e não orientação,  eu creio que a causa trans está bem mais representada pelo transfeminismo, o movimento LGBT+ tá nem aí pra gente, só nos usam de estatística mesmo, além das pessoas continuarem confundindo trans com gay.

Tags: